banner
Clique aqui e assine edificar

Técnica de reforma visa ergonomia em empresas Consultório odontológico projetado pela D2C (Foto: Divulgação)

Técnica de reforma visa ergonomia em empresas

Ergonobuilding busca soluções de arquitetura e design para melhor produtividade

Postado em por edificar

Notícias

Ambiente de trabalho seguro e ergonômico não é mais luxo para empresas e sim necessidade para levar jornadas de trabalho mais eficientes, além da obrigatoriedade por lei. Nos Estados Unidos, por exemplo, as empresas que investiram em ergonomia reduziram em 70% a incidência de doenças e acidentes de trabalho, segundo a Human Factorsand Ergonomic Society (HFES). No Brasil, ergonomia faz parte da Norma Regulamentadora 17 do Ministério do Trabalho, NR-17, e trata de um conjunto de técnicas que visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Para uma empresa, seja ela micro, pequena ou grande, é necessário um projeto que envolve diferentes profissionais, entre eles um arquiteto é necessário para o planejamento espacial do local, para responsabilidades técnicas da reforma e adaptações físicas do ambiente. A D2C, empresa que une arquitetura com marketing como solução visual e estratégica para negócios, é referência no setor de ergonomia e segurança no ambiente de trabalho, criando o termo ‘Ergonobuilding’ para nomear esse serviço, que é uma técnica para reformas e projetos que visam proporcionar ambientes confortáveis e seguros que resultam uma melhor produtividade atendendo as leis.

O programa Ergonobuilding é uma parceria com a Fiore Ergonomia e ainda visa implantar nos projetos as normas da NBRs, Anvisa, de acessibilidade, entre outras. A empresa é liderada pela arquiteta e especialista em marketing Gabriela Moreira, que enfatiza a importância das adaptações para também evitar futuros problemas jurídicos. “A grande vantagem de estar dentro das normas é não ter processos jurídicos ocasionados por problemas de saúde ou acidentes de funcionários ou, ainda, multas por diferentes órgãos, como a Anvisa por exemplo se for caso de vigilância sanitária”, afirmou Gabriela.

Gabriela Moreira (Foto: Divulgação)


Segundo a arquiteta, entre as principais modificações que são feitas nos ambientes são, por exemplo, em estabelecimentos ligados a saúde como laboratórios e clínicas que realizam cirurgias. Os revestimentos destes locais não podem ter nenhuma fissura, como rejuntes, para evitar acúmulo de germes e bactérias. Muitas vezes as empresas são instaladas em novos locais e com a mudança detalhes como esses são deixados de lado podendo ocasionar futuras multas e prejudicar a imagem do negócio.

Já para escritórios, principalmente em áreas administrativas, Gabriela enfatiza a importância de pensar no mobiliário, além daquele que permite a melhor utilização do espaço, mas também o que promove um bom conforto para a realização da tarefa. Uma pessoa que trabalha com a postura adequada, se distrai menos tentando se adequar ao móvel, e isso, além de facilitar a concentração e consequentemente ter mais produtividade, evita problemas de saúde como na coluna, que segundo dados da Previdência Social é a maior causa de afastamento em empresas.

D2C

A D2C desenvolve projetos e executa obras que tem como objetivo otimizar e valorizar os espaços comerciais seja para expor um produto, oferecer um serviço de forma diferenciada ou otimizar espaços corporativos que promovam a segurança e o bom desempenho das atividades. Otimizar o ambiente empresarial e utilizar a comunicação de forma integrada a este ambiente significa caracterizar o ambiente, criar soluções que representem o negócio, agregar valor e até mesmo facilitar sua utilização. A empresa atua em três segmentos: comercial, corporativo e empreendimentos imobiliários. Entre a cartela de clientes que têm projetos da D2C estão as lojas Fini, o Banco Bradesco, a KS Construtora, Huawei, entre outras.

Fonte: Vira Comunicação