banner
Clique aqui e assine edificar

Entidade vai à Câmara de João Pessoa propor políticas públicas para tratamento de doenças com uso de canabidiol Secom CMJP Olenildo Nascimento

Entidade vai à Câmara de João Pessoa propor políticas públicas para tratamento de doenças com uso de canabidiol

Os dois anos de atuação da Liga Canábica Paraíba também foi tema de pronunciamento do vereador Tibério Limeira (PSB)

Postado em por edificar

Notícias

O vereador Tibério Limeira (PSB) usou seu pronunciamento na sessão desta terça-feira (8), da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), para evidenciar os avanços obtidos na utilização da cannabis para fins terapêuticos pela Liga Canábica Paraíba, associação sem fins lucrativos criada a partir da luta dos pais e familiares de crianças com epilepsia de difícil controle, na luta pelo acesso aos derivados da planta cannabis para o controle das crises epilépticas.

De acordo com o parlamentar, a associação é referência na Paraíba, Brasil e também internacionalmente pelo tratamento que tem dado dignidade e qualidade de vida a pessoas com doenças como Parkinson, Alzheimer, Câncer, Epilepsia, Esclerose múltipla, etc. “É de grande importância a ação militante dessas pessoas por essa causa, dando cada vez mais amplitude ao uso dessa planta que pode salvar vidas e ser a salvação para muitos problemas”, afirmou Tibério Limeira.

O vereador destacou que a Liga foi fundada dia 6 de setembro de 2015 a fim de fortalecer o acesso  à cannabis e a disseminação do conhecimento dela para uso terapêutico. Já exerceu atividades no Senado Federal com a tramitação de um projeto para o fim da proibição do uso terapêutico da cannabis, assim como palestra no Poder Judiciário.

“A Liga defende uma estrutura de política pública nacional, conduzida por entes como a Prefeitura, Estado e União para dispor do acesso universal do tratamento e que o estado possa controlar e potencializar os estudos, além de controlar o cultivo da planta. Que essa política possa atender os pacientes em sua integralidade”, defendeu.

O vereador Thiago Lucena (PMN) e as vereadoras Sandra Marrocos (PSB) concordaram com o pronunciamento de Tibério Limeira.  “A gente precisa tirar essa discussão do campo da moral e colocar no campo da saúde pública. Pessoas estão tendo qualidade de vida com o uso medicinal da maconha. Gostaria de parabenizar a Liga por esses dois anos de resistência, de luta e de visibilidade que deu à Paraíba o título de pioneira nessa discussão. E é fundamental que se crie políticas públicas voltadas para esse universo”, defendeu Sandra Marrocos.

Reunião na presidência

O presidente da CMJP, vereador Marcos Vinícius (PSDB), recebeu o presidente da Liga Canábica, Júlio Américo Pinto Neto, o consultor jurídico da associação, Lucas Oliveira e ainda o vereador Tibério Limeira para dialogar como a Câmara de João Pessoa pode ajudar a Liga na construção de políticas públicas para o tratamento.

“É chegado o momento da sociedade debater este tema e a Câmara Municipal de João Pessoa precisa provocar uma grande discussão sobre este tema com a participação de várias autoridades e profissionais de saúde para garantir que o medicamento seja acessível para todos que precisarem”, comentou Marcos Vinícius.

Júlio Américo revelou os avanços que teve na utilização do óleo da cannabis com as crises de epilepsia do filho e com a demência senil severa do pai. O filho tinha cerca de 40 crises por dia, tomando cinco remédios anticonvulsivos diferentes, além de não ter o controle de tronco. “Há 11 meses ele não tem uma crise epiléptica, só tomando o óleo e ainda anda”, relatou. Sobre o pai: “Hoje com 95 anos, conseguimos reverter o quadro de demência senil severa do meu pai também usando o óleo”.

Ele ressaltou que as empresas farmacêuticas desenvolveram dois medicamentos a base de cannabidiol sintética que custam entre R$ 1 mil e R$ 2 mil. “Pessoas da periferia não têm condições de pagar esses medicamentos, nem importar dos Estados Unidos ou Europa”, por isso a meta da Liga é formar um grupo de trabalho envolvendo prefeitura, estado e universidades para a formação de políticas públicas.

O presidente da Liga informou, ainda, que o desenvolvimento de políticas públicas para o acesso universal da cannabis para fins terapêuticos, principalmente para pessoas carentes, vai proporcionar uma grande economia para o Sistema Único de Saúde (SUS). “Vai ter uma grande economia para a saúde pública, com menos internações, menos consultas, menos exames, menos gastos com medicamentos. E o mais importante: temos visto claramente o progresso na saúde das pessoas que usam os óleos da cannabis”, garantiu.

Júlio Américo ainda falou da importância da Câmara nessa formação de políticas e no intermédio com o Executivo. “É fundamental a participação da CMJP como ente público não só que fiscaliza, mas que sugere políticas públicas. Que tem esse relacionamento com o Executivo para que se faça uma parceria com a intenção de facilitar esse acesso às políticas públicas, além de trazer p setor público municipal para construir juntos essas políticas”, sugeriu.

Secom CMJP - Clarisse Oliveira