banner
Clique aqui e assine edificar

Clientes do DCT conhecem fornecedores e produtos para ambientação das salas Fotos: Bárbara Wanderley

Clientes do DCT conhecem fornecedores e produtos para ambientação das salas

A partir de setembro, os proprietários poderão organizar seus ambientes

Postado em por edificar

Eventos

Bárbara Wanderley

Os clientes da Construtora Planc que adquiriram salas no Duo Corporate Towers (DCT) tiveram a oportunidade de conhecer, na tarde desta sexta-feira (28), representantes de empresas que comercializam e instalam pisos elevados, forros rebaixados, divisórias e mobiliário. A ideia é aproximar os proprietários desses fornecedores para que eles já comecem a pensar na montagem das suas próprias salas.

De acordo com o sócio-diretor da Planc, Clóvis Cavalcanti, a partir do dia 4 de setembro as obras no interior do edifício estarão liberadas e DCT deve ser inaugurado em dezembro.

“Conseguimos atrair uma quantidade significativa de pessoas para conhecer o nosso espaço e pudemos comunicar o que queríamos”, avaliou o representante do Grupo Key, Juracy Kiko Cornélio.

 O grupo montou uma sala decorada no local, na qual estão expostos os produtos que oferecidos: pisos elevados, forros rebaixados, divisórias, mobiliário e decoração. A empresa, que trabalho com sistema turn key, consegue entregar ambientes completos e prontos para uso.

Clientes conhecem sala ambientada e mobiliada

Juracy Kiko explicou que o ambiente permanecerá montado e a disposição dos clientes que quiserem conhecer os produtos. “Basta entrar em contato e agendar uma visita”, disse.

Clóvis Cavalcanti destacou que a Planc e os arquitetos responsáveis pelo projeto do empreendimento, Cristiano Rolim e Ricardo Nogueira, buscaram as melhores e mais modernas soluções para os clientes e que os pisos elevados e forros rebaixados oferecem grande praticidade em ambientes corporativos.

O representante comercial Assis Oliveira, que comprou duas salas no empresarial como investimento, afirmou que a obra é diferenciada. “Tem obras assim em Recife, mas em João Pessoa a gente não tinha”, afirmou.