banner
Clique aqui e assine edificar

Carrinhos de chá e bar repaginados na decoração Neste projeto da arquiteta Estela Netto, o carrinho de madeira dá suporte a mesa da área gourmet. (Foto: Daniel Mansur)

Carrinhos de chá e bar repaginados na decoração

Peças que eram prioritariamente decorativas voltam a ocupar cantinhos da casa, mas agora com foco na multifuncionalidade

Postado em por edificar

Notícias

Aquele carrinho de chá e bar da vovó voltou a ocupar espaços com design repaginado e característica multifuncional. O uso dessas peças está em alta na composição de ambientes retrô, mas também em montagens bem contemporâneas. Importante é saber usá-los na decoração para que não se tornem depositórios de badulaques e bagunças.

De acordo com a arquiteta Estela Netto, o carrinho tem que fazer sentido agregando beleza e funcionalidade ao lugar onde será inserido. “É uma peça com forte apelo estético e que pode cumprir o papel de dar suportes a bebidas, pequenos lanches e até mesmo se tornar um aparador. Basta criatividade para transformá-lo no que melhor compõe com a realidade de cada cliente”, explica. Segundo Estela Netto, o carrinho pode se tornar um elemento muito importante dentro de uma casa, se inserido com um conceito de funcionalidade, sem se tornar um mero apoio bagunçado.

Projeto da designer Iara Santos, o carrinho bar proporciona charme e funcionalidade a varanda. (Foto: Daniel Mansur)

Conforme a designer de interiores Iara Santos explica, os carrinhos podem trazer também vasos de plantas ou adornos pequenos. “Qualquer cantinho da casa e qualquer tipo de decoração abraçam muito bem os carrinhos. O local que vão ocupar será determinado pela função no espaço. Até dentro do banheiro os carrinhos podem ser usados”, afirma a profissional.

Os carrinhos de chá e bar tinham antes um design rococó. Eram peças mais decorativas do que funcionais. Agora, a multifuncionalidade tem maior destaque e os modelos atuais contemplam um design contemporâneo e limpo. “A madeira se mantém em alguns carrinhos, mas também existem outras possibilidades como ferro, fibra sintética, poliuretano, inox e alumínio”, conclui Iara Santos.

Fonte: Mão Dupla Comunicação