banner
Clique aqui e assine edificar

JOÃO PESSOA NA CONTRAMÃO DA CRISE

Quando todos imaginavam que teríamos uma queda nas vendas do setor imobiliário, uma vez que todo o país está repleto de notícias ruins, só se falando em crise ou em escândalos políticos, nossa cidade – João Pessoa - mais uma vez trouxe boas surpresas

Postado em por Fábio Henriques

O mês de outubro de 2015 foi surpreendente, pois quando todos imaginavam que teríamos uma queda nas vendas do setor imobiliário, uma vez que todo o país está repleto de notícias ruins, só se falando em crise ou em escândalos políticos, nossa cidade – João Pessoa - mais uma vez trouxe boas surpresas, pois teve um faturamento nas vendas superior ao mês de outubro do ano passado e com números bastante elevados para a alegria do nosso setor.

O faturamento do mês de outubro de 2014 foi de R$ 142.480.564,56 (cento e quarenta e dois milhões, quatrocentos e oitenta mil, quinhentos e sessenta e quatro reais e cinquenta e seis centavos) para os imóveis residenciais e mais R$ 324.115,42 ( trezentos e vinte e quatro mil, cento e quinze reais e quarenta e dois centavos) para os imóveis comerciais, totalizando uma receita global de R$ 142.804.679,98 (cento e quarenta e dois milhões, oitocentos e quatro mil, seiscentos e setenta e nove reais e noventa e oito centavos).

Porém, o mês de outubro deste ano, para a nossa alegria, o setor faturou R$ 193.184.285,14 (cento e noventa e três milhões, cento e oitenta e quatro mil, duzentos e oitenta e cinco reais e quatorze centavos) referente às vendas de unidades residenciais e mais R$ 4.875.778,30 (quatro milhões, oitocentos e setenta e cinco mil, setecentos e setenta e oito reais e trinta centavos), referente às vendas das unidades comerciais perfazendo o montante de R$ 198.060.063,44 (cento e noventa e oito milhões, sessenta mil, sessenta e três reais e quarenta e quatro centavos).

Ou seja, vendeu R$ 55.255.383,46 (cinquenta e cinco milhões, duzentos e cinquenta e cinco mil, trezentos e oitenta e três reais e quarenta e seis centavos) a mais, tendo um crescimento surpreendente de 38,69%, em relação ao mesmo mês de 2014. Assim, ao analisarmos, comparando o mesmo mês dos anos de 2015/2014, percebemos o nítido crescimento do nosso faturamento anual.

Dizendo de outro modo, constatamos que de janeiro à outubro (2015) o mercado imobiliário da grande João Pessoa vendeu a cifra de R$ 1.524.289.540,72 (um bilhão, quinhentos e vinte e quatro milhões, duzentos e oitenta e nove mil, quinhentos e quarenta reais e setenta e dois centavos) em imóveis residenciais e outros R$ 134.581.684,47 (cento e trinta e quatro milhões, quinhentos e oitenta e um mil, seiscentos e oitenta e quatro reais e quarenta e sete centavos) em imóveis comerciais, totalizando o montante de R$ 1.658.871.225,19 (um bilhão, seiscentos e cinquenta e oito milhões, oitocentos e setenta e um mil, duzentos e vinte e cinco reais e dezenove centavos).

Em comparação ao mesmo período do ano anterior (2014), que faturou R$ 1.466.680.749,26 (um bilhão, quatrocentos e sessenta e seis milhões, seiscentos e oitenta mil, setecentos e quarenta e nove reais e vinte e seis centavos)  -  através dos residenciais  +  R$ 40.025.478,11 (quarenta milhões, vinte e cinco mil, quatrocentos e setenta e oito reais e onze centavos) – vendas das unidades comerciais, perfazendo o total de 1.506.706.227,37(um bilhão, quinhentos e seis milhões, setecentos e seis mil, duzentos e vinte e sete reais e trinta e sete centavos).

Estes valores representam um crescimento de 10,10% no faturamento total. Ou seja, mais uma vez a construção civil e sua cadeia produtiva foi eficiente e, graças a ela, estamos na contramão da crise.

JAN-OUTUBRO

2014

2015

RESIDENCIAIS

 R$   1.466.680.749,26

 R$    1.524.289.540,72

COMERCIAIS

R$ 40.025.478,11

 R$       134.581.684,47

TOTAL

 R$   1.506.706.227,37

 R$   1.658.871.225,19

Fonte: Pesquisa de Mercado – Fábio Henriques

Saiba mais

No período de janeiro a outubro também se constata um fato relevante no nosso mercado: é que o número de empreendimentos lançados diminuiu em 2,74%, porém, o número de unidades nestes projetos cresceu 16,39% e isso significa que está mantida uma das tendências do nosso mercado, que é realizar uma obra mais adensado dando preferência ao estilo de condomínio clube.